quarta-feira, julho 30, 2008

carta de desamor

Já não me amas.
E eu já não te amo a ti.


Eu já não amo a vida e tudo o resto.


Tudo tem um fim quando chega a morte, do mundo, do tempo, do meu tempo, da minha vida.
Quando chega o fim de tudo o que existe para mim, todas as figuras se apagam, todas as palavras se esvaziam.
E é isso que és para mim, uma imagem, uma palavra, uma recordação, um interruptor que se apaga.
E contigo, eu, o mundo e tu.


Já não te amo.

2 comentários:

pingo de mel disse...

ai Nuno ... está triste mas está lindo...adorei, escreves como poucas pessoas ... a parte do interruptor está fantástica... espero que seja só um post e que na realidade não te estejas a sentir assim

beijo

nuno leão disse...

felizmente é ficção... ou melhor já o era na altura que o escrevi e estas palavras já têm à volta de uma dezena de anos. e saêm-me melhor as coisas que são ficção, pois quando o coração está demasiado perto da boca pouco consigo vociferar para além de umas frases soltas. ou às vezes mesmo só o silêncio, esse ensurdecedor silêncio.