quarta-feira, julho 27, 2016

nada para dar

When there's nothing to give
Well how can we ask for more

debaixo do sol

9 O que foi, isso é o que há de ser; e o que se fez, isso se fará; de modo que nada há de novo debaixo do sol.
10 Há alguma coisa de que se possa dizer: Vê, isto é novo? Já foi nos séculos passados, que foram antes de nós.
eclesiastes 1: 9,10
não há é juízo debaixo do sol

sábado, julho 16, 2016

Balzac

Mais Balzac

menos prozac


Je ne me sentais 
tellement Honoré

sexta-feira, julho 08, 2016

Solta...

Solta o grito, a raiva, o choro, o riso, o beijo, o carinho. 
Liberta a tua alma, sem medos, sem limites. 
Quem és tu? Se não um ser passageiro?
Chega de meias verdades, de meias mentiras, só porque sim. Decides não ser verdadeiro com os outros mas primeiro enganas a ti. Tens medo de dizer o que sentes? De ser verdadeiro contigo? Nao sabes o quão libertador isso é. No fundo não sabes o que és! Vives nesse teu mundo de faz de conta. Triste de ti, que não te libertas... vai, sente, solta o grito, a raiva, aquilo que és de verdade. O que podem os outros dizer? O que é isso comparado com a tua liberdade? Não te iludas... não iludas os outros. Não existe nada pior do que não seres de verdade, porque afinal, 
O que és tu a não ser um ser passageiro...

SGV